Bob Wolfenson exibe desconhecidos em mostra na Galeria Millan

 

Nova York, Primavera de 2013.

 

Voltando da praia novaiorquina de Coney Island, em 2012, Bob Wolfenson notou uma massa de desconhecidos que aguardavam para atravessar uma avenida que levava a Manhattan. A postura das pessoas sob o Sol se tornou única enquanto esperavam o semáforo de pedestres ficar verde e as semelhanças entre elas atraiu o olhar do fotógrafo brasileiro. 

Apesar das roupas, feições e peles diferentes, o artista enxergava mais pontos em comum do que divergentes. Com sua Leica na mão, fez algumas imagens durante a viagem e as guardou como acervo pessoal. Contudo, uma vontade de repetir a experiência por outras cidades do mundo resultou na série de fotos que compõe a nova exposição da Galeria Millan.

 

Londres, Outono de 2012.

 

A mostra fica em cartaz 1º a 24 de fevereiro com entrada gratuita. Nos painéis, as imagens discutem um dos mais marcantes paradoxos do ser humano, tão claro para o fotógrafo em 2012: o fato de sermos iguais e diferentes; o desejo de pertencimento a um grupo e ao mesmo tempo querer se distinguir dele.

"O processo de realização das fotografias seguiu princípios rígidos: as tomadas foram sempre feitas em cruzamentos ou faixas de segurança, e as pessoas estavam de fato naqueles lugares, mesmo que não tenham sido fotografadas no mesmo momento em que as que aparecem a seu lado na cópia final", explicou Wolfenson.

 

Marrakesh, Outubro de 2014.

 

Miami, Verão de 2013.

 

Nova York, Primavera de 2013.

 

"Nos anos em que me dediquei a este trabalho, pude perceber claramente que quando se está com uma máquina fotográfica no meio da rua, mesmo que com um tripé e com conceitos específicos em mente, não se pode controlar muita coisa. A rua é viva e nos impõe essa vivacidade", completou.

Bob nasceu em 1954 e, aos 16 anos, iniciou sua carreira como assistente de fotografia da Editora Abril. Em 1978, montou seu primeiro estúdio e resolveu estudar Ciências Sociais até mudar-se para Nova York. Lá, trabalhou com o norte-americano Bill King, porém sua consagração surgiu a partir de uma exposição no MASP em 1996. 

 

Paris, Primavera de 2014.

 

  • Galeria Millan - Rua Fradique Coutinho, 1360 - Vila Madalena, São Paulo
    (11) 3031-6007
    + Ver mapa
  • 01/02/2017 a 24/02/2017
  • Terça a sexta: 10h às 19h. Sábado: 11h às 18h.
  • Entrada gratuita.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo