Apresentação de Vaga Carne e Encontro com o Espectador

O Itaú Cultural encerra a programação de teatro de junho, apresentando peça, conversa sobre bastidores, leituras de textos e reflexões a respeito de espetáculos e temáticas levadas aos palcos.

Nomes importantes da cena teatral contemporânea passam pelo instituto, tratando, tanto no palco quanto fora dele, de temas como a elaboração do corpo negro em cena, a urgência de discurso e pertencimento em torno da identidade e a desconstrução de personagens estigmatizados pela sociedade.

(Crédito:Divulgação/Kelly Knveles)

//Vaga Carne

De 22 a 24 (sexta-feira a domingo), Grace Passô volta à programação com a Vaga Carne, primeiro texto do projeto Grãos da Imagem, que reúne peças em torno de temas identitários.

O espetáculo é uma espécie de jogo entre a palavra e o movimento, no qual um corpo de mulher vive a urgência de discurso, à procura de suas identidades e de pertencimento.

No palco, uma voz errante invade a matéria sólida, líquida ou gasosa e toma, pela primeira vez, o corpo de uma mulher.

A partir da experiência, na qual vira sujeito, essa voz narra suas sensações, o que finge ser, o que é insondável em si e o que sua imagem é para o outro. Nesse processo, sonda, ainda, o que significa um corpo enquanto construção social.

//O artista e o espectador

No dia 24 (domingo) às 15h, acontece o Encontro com o Espectador, programação que trás  todo último domingo mês artistas para uma conversa com o público sobre uma peça em cartaz na cidade.

Desta vez, os convidados são o ator, jornalista e arte-educador Marcos Felipe e a atriz e diretora Georgette Fadel, para debater com o jornalista Valmir Santos sobre Epidemia Prata, peça que marca os 10 anos de existência da Cia. Mungunzá de Teatro.

Epidemia Prata foi construída a partir de histórias colhidas de pessoas em situação de rua e usuários de crack no entorno da sede da Mungunzá, instalada no bairro da Luz, centro de São Paulo.

Partindo de escolhas artísticas, políticas e éticas, o grupo costurou duas linhas narrativas: a visão pessoal dos atores sobre os personagens reais que conheceram e o mito da medusa, criatura que transforma pessoas em estátuas.

De forma performática e sinestésica, a peça desconstrói personagens estigmatizados pela sociedade e transmite a sensação de petrificação diante de tudo.

(Crédito:Divulgação/Mariana Beda)

 

  • Itaú Cultural - Avenida Paulista, 149 - Bela Vista, São Paulo
    (11) 2168-1777 / (11) 2168-1776
    + Ver mapa
  • 21/06/2018 a 24/06/2018
  • Sexta e sábado, 20h. Domingo,15h e 19h.
  • Gratuito.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo