Apocalipse Zumbi na Pós Modernidade

 

Cena do Espetáculo "Mortos Vivos" (Créditos: Francisco Costa)

 

No dia 28 de setembro, sexta, às 21h30, estreia no Sesc Belenzinho o espetáculo Mortos-Vivos - Uma Ex-Conferência. O texto de Alex Cassal, dirigido por Renato Linhares, parte da premissa fantástica do que é o apocalipse zumbi de fato, neste momento. A nova montagem do grupo carioca Foguetes Maravilha, que está completando 10 anos, é a uma metáfora sobre as mazelas do mundo contemporâneo, e uma conferência é realizada para descobrir as armas necessárias para enfrentar esses ‘zumbis’.

No enredo, o apocalipse zumbi já aconteceu, e neste exato momento cadáveres animados e famintos andam pelas ruas da cidade. A montagem é uma espécie de conferência à beira do abismo, onde quatro especialistas analisam a crise que tomou o mundo e instruem os espectadores sobre estratégias de sobrevivência.

Enquanto o caos se espalha, discutem assuntos como alteridade, xenofobia, fascismo, preconceito, tortura, banalidade do mal, fascínio pela violência, sistema digestivo dos zumbis e razões evolutivas para que os seres humanos tenham um medo inato de serpentes.

 

Os zumbis na atualidade (Créditos: Francisco Costa)

 

Pairam no ar inquietantes questões sobre como enfrentar a ameaça, combater mortos-vivos insaciáveis que invadem as casas e despedaçam as pessoas, discutir ética com seres inarticulados que tentam mastigar o nosso cérebro. O mundo que conhecíamos acabou. Não há mais governo, sinais de trânsito, produtos de supermercado, etiqueta social, amenidades. O que resta é a sobrevivência, resta saber do que é possível abrir mão para garantir essa sobrevivência.

Segundo o autor Alex Cassal, do filme A Noite dos Mortos-Vivos (Walking Dead), o zumbi foi se tornando o monstro por excelência do nosso tempo. A sua imagem, simultaneamente, patética e assustadora conquistou o cinema, a literatura e a cultura pop. Tornou-se uma metáfora explorada por políticos e filósofos, cantores e cientistas”.

O espetáculo reflete sobre esse zumbi que é sempre o outro, aquele que é semelhante, porém alienígena; aquele que nos ameaça com sua presença. E para enfrentá-lo todas as armas são permitidas: o isolamento, a agressão, até a destruição completa. Os zumbis estão nas ruas, nas redes sociais, na televisão, no congresso brasileiro.

  • Sesc Belenzinho - Rua Padre Adelino, 1.000 - Belenzinho, São Paulo
    (11) 2076-9700
    + Ver mapa
  • 28/09/2018 a 27/10/2018
  • Sextas e Sábados às 21h30. Domingos às 18h30
  • R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (meia), R$ 9,00 (credencial plena)
  • Classificação: 12 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo