Antonio e Bruno Fagundes retornam ao TUCA com "Vermelho"

(Créditos: Caio Gallucci)

 

Nas palavras de Bárbara Heliodora, Vermelho é um "teatro obrigatório". O espetáculo do premiado John Logan reestreia no Teatro Tuca, trazendo à cena a intimidade do processo de criação de um artista plástico contada por Antonio e Bruno Fagundes. Pai e filho sobem ao palco para discutirem sobre o papel da ética e o verdadeiro valor do trabalho. A peça dirigida por Jorge Takla e traduzida por Rachel Ripani fica em cartaz de 12 de agosto a 4 de dezembro, com ingressos de R$ 30 a R$ 80.

Vermelho conta a história de Mark Rothko e de seu assistente, Ken, trabalhando em um ateliê em Nova Iorque. Após o artista expressionista perguntar o que o rapaz via ao olhar para suas telas, um embate entre gerações se inicia. Carregando conceitos artísticos e bagagens culturais diferentes, ambos colocam em cena o amor pelas artes plásticas. Durante cada sessão, mestre e aprendiz preparam tintas e pintam quadros em cena. 

“Rothko tem uma história fascinante e um entendimento único de arte. Queremos mostrar, de forma leve e bem-humorada, essa grande história”, afirma Bruno. Uma pequena exposição no saguão do teatro recepciona o público com quadros de Pollock, Matisse, Picasso, Warhol, Dalí, De Kooning, Lichtenstein, Michelangelo, Rembrandt, Turner e Friedrich, permitindo que todos reconheçam algumas das referências da peça.

Durante o mês de julho, a dupla permitiu que o público assistisse alguns dos ensaios, a fim de diminuir o espaço entre a plateia e a boca de cena. Agora, não satisfeitos com tamanha aproximação, os Fagundes convidam a todos a conhecerem os bastidores do teatro antes das cortinas se abrirem. Por R$ 100 (além do ingresso), Experiência 360º permite que os espectadores façam um tour pelas coxias e camarins, circulem pelo cenário, conversem e façam fotos com os atores. “É uma oportunidade única para quem quer conhecer a magia do teatro e acompanhar de perto o que vivemos antes de cada apresentação”, comenta Antonio.

No último sábado de cada mês, ocorrem sessões com acessibilidade para deficientes visuais e auditivos (interprete de LIBRAS, áudio descrição e tablets com legendas).

  •  (Crédito: Caio Gallucci)
    (Crédito: Caio Gallucci)
  •  (Crédito: Caio Gallucci)
    (Crédito: Caio Gallucci)
  •  (Crédito: Caio Gallucci)
    (Crédito: Caio Gallucci)
  •  (Crédito: Caio Gallucci)
    (Crédito: Caio Gallucci)
  •  (Crédito: Caio Gallucci)
    (Crédito: Caio Gallucci)
  •  (Crédito: Caio Gallucci)
    (Crédito: Caio Gallucci)
    • Tuca - Rua Monte Alegre, 1024 - Perdizes, São Paulo
      (11) 3670-8455
      + Ver mapa
    • 12/08/2016 a 04/12/2016
    • Sextas e sábados: 21h30. Domingos: 18h.
    • Sextas: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia). Sábados: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). Domingos: R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia)
    • Classificação etária: 12 anos.
    Comentários
    Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo