"O visionário Theon Spanudis" traz Volpi e outros nomes da arte

Na Galeria Berenice Arvani, até 11 de maio,  a exposição O visionário Theon Spanudis  leva ao alcance do público um acervo que reúne cerca de 40 trabalho de 17 artistas que foram incentivados pelo crítico e colecionador de arte Theon Spanudis. 

A exposição, denominada Construtivistas e Figurativos da Coleção Theon Spanudis, reúne obras de Alfredo Volpi, Arnaldo Ferrari, Bárbara Schubert Spanoudis, Eleonore Koch, Fang, Fernando Odriozola, Jandyra Waters, José Antônio da Silva, Mira Schendel, Niobe Xandó e Valdeir Maciel.

Crédito: (Divulgação/Mira Schendel)

Crítico de arte, colecionador, tradutor, poeta e psiquiatra, Theon Spanudis (1915-1986) nasceu em Esmirna e cresceu em Atenas, na Grécia.

Estudou Medicina em Viena, especializando-se em Psicanálise. Em 1950 veio a São Paulo a convite da Sociedade Brasileira de Psicanálise, na qual lecionou até 1957. A partir daí, decidiu dedicar-se exclusivamente à crítica de arte e à produção literária.

Colaborou para periódicos como as revistas AD Arquitetura e Decoração, Habitat, Cavalo Azul e Convivium, além de um suplemento literário do jornal O Estado de S.Paulo.

Desde jovem, escrevia textos literários e poemas, mas a publicação de suas obras deu-se no Brasil e, de modo geral, em português.  Nos anos 1960, sua produção textual se expandiu para a poesia. 

Paralelamente à produção poética, Spanudis seguia como personalidade importante para muitos artistas cujas obras colecionava.

Em 1978, realizou a primeira exposição que reuniu destaques de sua coleção no Centro de Artes Porto Seguro.

 

Crédito: (Divulgação/Luiz Sacilotto)

Sob curadoria de Antonio Carlos Suster Abdalla, a exposição segue um viés histórico e apresenta cerca de 40 trabalhos, de um corpo de 17 artistas: Alfredo Volpi, Arnaldo Ferrari, Bárbara Spanoudis, Eleonore Koch, Fang, Fernando Odriozola, Jandyra Waters, José Antônio da Silva, Luiz Sacilotto, Mira Schendel, Montez Magno, Niobe Xandó, Ramón Cáceres, Rubem Valentim, Rubens Azevedo, Ubirajara Ribeiro e Valdeir Maciel.

"Psiquiatra por formação, Spanudis foi um crítico e colecionador desbravador, um homem sensível, de ampla cultura, que não se atinha a modismos, visões definitivas ou fechadas. No sentido contrário à excessiva valorização dos critérios passageiros do mercado de arte, tinha absoluta liberdade de opinião", afirma Abdalla.

Créidito: (Divulgação/Fernando Odriozola)

 

  • Galeria Berenice Arvani - Rua Oscar Freire, 540 - Cerqueira César, São Paulo
    (11) 3082-1927
    + Ver mapa
  • 10/04/2018 a 20/05/2018
  • Segunda a sexta, das 10h às 19h.
  • Gratuito
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo