"Aos 8 anos, então, virei a fotógrafa oficial da família"

9 abril 2017

"Meu pai viajava direto a trabalho e com a família nas férias. Ele tinha umas máquinas parecidas com a Rolleiflex. Depois, ele comprou essas reflex simples, tipo Kodak, só que ele não se adaptou. A câmera começou a passar de mão em mão entre meus irmãos mais velhos. Uma vez fomos fazer uma viagem para Campos do Jordão, peguei a câmera e comecei a tirar foto. Olhei o visor e vi que tinha uma linhazinha. Um paspatur. Coloquei todo mundo lá dentro. Quando foram revelar as fotos, todo mundo ficou surpreso. Não tinha cortado a cabeça de ninguém. Em uma viagem anterior, as fotos tinham ficado cortadas. Aos 8 anos, então, virei a fotógrafa oficial da família. Meu pai me estimulava muito, quando viajava, eu já adorava viajar, ele me dava filmes".

+ Abertura de nada levarei quando morrer, aqueles que me devem cobrarei no inferno por Denise Andrade

 

Na foto, da esquerda para direita, Wanda (mãe), Sônia e Airton ( irmãos) e Denise com a mão no rosto. Foto feita pelo seu pai, José. Ele já estava cansado de dirigir a foto, tinha me pedido várias vezes para tirar  a mão do rosto

 

Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo